Quinta-feira, 3 de Janeiro de 2013

     Os olhos dos mais atentos repararam na forma como Cavaco manejou, perante Jaime Gama, a Constituição da República Portuguesa. Naquele juramento, a inocência de grande parte dos ouvidos romanceou tal promessa que, fora do Cavaquistão, os pescadores aplaudiam. Porém, os mais atentos e desconfiados pensavam no sadismo que seria, depois daquela cerimónia quase matrimonial, Cavaco tratar aquele documento da mesma forma que os seus discursos de campanhas eleitorais: algemá-los, acorrentá-los e escondê-los (de preferência em algum local escuro). Foi o que Cavaco fez.

     Pedro optou por um modus operandi diferente. A sua alienação mental empurrou-o para uma revisão constitucional, acompanhada da narrativa utopista de que essa mesma revisão não é necessária pois o actual documento, ainda que "cristalizado", permite opções políticas como a  tributação de pensões (e o fruto pelo Tribunal Constitucional proibido, é para ele o mais apetecido). O génio de Pedro (ou de Laura, não tenho a certeza) força-o ainda a defender uma economia de mercado com salvaguardas de risco para futuros monopólios privados a oferecer à sua gente. Força-o a propagandear pela diminuição e aumento de impostos, força-o a declarar rendimentos anuais brutos superiores a 100.000 € e explicar aos portugueses que também partilha da tristeza de não poder oferecer prendas de Natal aos seus filhos. Pedro orgulha-se de ser Primeiro Ministro  sem que ninguém se orgulhe dele.

     Estas são as personagens da nossa Democracia eleitas para fazer cumprir um texto fundador. Passam os dias e cresce em mim a certeza de que estamos no bom caminho, aquele que nos aproxima do fim dos mandatos de representação política desta corja.



publicado por Rui Moreira às 20:22 | link do post | comentar

Catarina Castanheira

Fábio Serranito

Frederico Aleixo

Frederico Bessa Cardoso

Gabriel Carvalho

Gonçalo Clemente Silva

João Moreira de Campos

Pedro Silveira

Rui Moreira

posts recentes

Entre 'o tudo e o nada' n...

Le Portugal a vol d'oisea...

Recentrar (e simplificar)...

Ser ou não ser legítimo, ...

O PS não deve aliar-se à ...

(Pelo menos) cinco (irrit...

Neon-liberais de pacotilh...

Piketty dá-nos em que pen...

Ideias de certa forma sub...

Ideias de certa forma sub...

arquivos

Janeiro 2016

Outubro 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012