Segunda-feira, 28 de Janeiro de 2013
 
Quero apenas deixar-vos algumas palavras sobre as declarações de Arménio Carlos. O conteúdo do discurso do secretário-geral da CGTP referindo-se a Abebe Selassie como o "rei mago escurinho" é profundamente lamentável e merece reprovação, até porque o FMI tem tantas cores quantas aquelas que coloram as notas de dólares e euros. Contudo, tenhamos em atenção os oportunistas que logo aproveitam estas situações para ocupar a agenda e defenestrar a luta anti-troika para fora do círculo mediático sob o pretexto da defesa de um elemento do FMI. Exasperam por desviar as atenções e levar os cidadãos e cidadãs ao esquecimento da  grande manifestação dos professores e do clima irrespirável de austeridade. Aliás, os dois primeiros críticos que logo fizeram questão de ressalvar as palavras de Arménio Carlos foram Marcelo Rebelo de Sousa e Rui Moreira. De repente lembraram-se do racismo em Portugal. Curioso que nenhum dos dois alguma vez tenha opinado sobre a situação dos bairros, a nova lei da imigração ou episódios tenebrosos como o do Kuku.
 
Reitero que Arménio Carlos deve ser criticado e qualquer sinal de racismo deve ser denunciado. Não devemos é, sob esse pretexto, desviar-nos da realidade ou criar uma nova. O racismo do líder sindical não aquieta aqueles que se recordam do neo-colonialismo e saque de outros povos, características instrínsecas do capitalismo selvagem, dos membros que compõem a Troika e, por conseguinte, dos representantes desta em Portugal.

Os mesmos que exaltaram este episódio à direita estarão recordados da Lei do Retorno, dos centros de detenção que grassam por todo o Ocidente, da agência FRONTEX que persegue imigrantes no limes do continente europeu? Estará Selassie lembrado dos resultados nefastos da política sórdida encetada pelo FMI na Etiópia, ou simplesmente concordará com essa orientação e consequente  penúria do seu povo?

Não quero hierarquizar ou escalar níveis de racismo. Prefiro antes denunciar todo o racismo envolvido nesta questão em particular. O teor da palestra de Arménio Carlos foi racista, o FMI e a União Europeia são instituições com políticas de xenofobia extrema e nenhum dos intervenientes deve ser poupado aos apupos. Nem mesmo Selassie.



publicado por Frederico Aleixo às 11:31 | link do post | comentar

Catarina Castanheira

Fábio Serranito

Frederico Aleixo

Frederico Bessa Cardoso

Gabriel Carvalho

Gonçalo Clemente Silva

João Moreira de Campos

Pedro Silveira

Rui Moreira

posts recentes

Entre 'o tudo e o nada' n...

Le Portugal a vol d'oisea...

Recentrar (e simplificar)...

Ser ou não ser legítimo, ...

O PS não deve aliar-se à ...

(Pelo menos) cinco (irrit...

Neon-liberais de pacotilh...

Piketty dá-nos em que pen...

Ideias de certa forma sub...

Ideias de certa forma sub...

arquivos

Janeiro 2016

Outubro 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012