Sábado, 9 de Fevereiro de 2013

     Sussurram-nos aos ouvidos que esta crise irá durar uma geração. Poderá esta afirmação significar que, os actuais dirigentes, desistiram do país? Que a União Europeia desistiu da Europa? Que viverei 50 anos neste estado de excepção política, como vulgarmente lhe chamam?

   As respostas a estas questões são, provavelmente, mais assustadoras que o prefixo de as colocar. E é por esse motivo que aqui evoco a Internacional Socialista, que continua a provar ser um vazio ideológico, ao estilo Papandreu. Que reacção estão os socialistas dispostos a empenhar contra a indigência que assola o mundo? Aparentemente, nenhuma. É então que surge, no mais triste hotel de Cascais, em sala composta de democratas e ditadores, entre resistentes e servis, um contundente "Não!" a toda aquela espectacularidade. Beatriz Talegón, Secretária-Geral da IUSY, trouxe ao momento o equilíbrio intelectual necessário, perguntando aos presentes, senhorios do discurso socialista, se faz sentido a defesa de um modelo de desenvolvimento acente no exemplo luxuoso de uma organização criada para defender a classe baixa e os trabalhadores. "O problema é de representatividade política", acrescentou mais tarde. O Sul da Europa atravessa uma crise que promoveu, só em Portugal, 200 mil desempregados no último ano. Para minha tristeza, a Internacional está em estado avançado de inutilidade. Por este motivo, o discurso de Beatriz é também a urgência de um novo método para os partidos socialistas se fazerem respeitar. Falta gente como a Beatriz, com coragem para estalar a elegância destes eventos.

   A Internacional está na rua, segundo Papandreu. "Junto das pessoas, na rua", sublinhou. Eu ainda não a vi. Por isso reitero: onde está a Internacional Socialista? Onde estão os estadistas da Internacional? Uma, pelo menos, consigo identificar. Obrigado Beatriz.

 



publicado por Rui Moreira às 16:07 | link do post | comentar

Catarina Castanheira

Fábio Serranito

Frederico Aleixo

Frederico Bessa Cardoso

Gabriel Carvalho

Gonçalo Clemente Silva

João Moreira de Campos

Pedro Silveira

Rui Moreira

posts recentes

Entre 'o tudo e o nada' n...

Le Portugal a vol d'oisea...

Recentrar (e simplificar)...

Ser ou não ser legítimo, ...

O PS não deve aliar-se à ...

(Pelo menos) cinco (irrit...

Neon-liberais de pacotilh...

Piketty dá-nos em que pen...

Ideias de certa forma sub...

Ideias de certa forma sub...

arquivos

Janeiro 2016

Outubro 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012