Sábado, 25 de Maio de 2013

Será certamente difícil o ofício de palhaço. Se é ofensivo para alguém ser chamado palhaço, julgo que sim. Mas é palhaço quem quer - no decorrer do ofício -, e quem pode - os que se ocupam desse mesmo ofício.

 

De resto, Portugal não é o único país onde se encontram essas figuras pitorescas, das quais podiamos lembrar as suas façanhas. Olhemos para Itália e lá encontramos um exemplo, o boçal e histriónico Beppe Grillo. Cá como lá, já temos os nossos palhaços.

 



publicado por Gabriel Carvalho às 21:26 | link do post | comentar

Catarina Castanheira

Fábio Serranito

Frederico Aleixo

Frederico Bessa Cardoso

Gabriel Carvalho

Gonçalo Clemente Silva

João Moreira de Campos

Pedro Silveira

Rui Moreira

posts recentes

Entre 'o tudo e o nada' n...

Le Portugal a vol d'oisea...

Recentrar (e simplificar)...

Ser ou não ser legítimo, ...

O PS não deve aliar-se à ...

(Pelo menos) cinco (irrit...

Neon-liberais de pacotilh...

Piketty dá-nos em que pen...

Ideias de certa forma sub...

Ideias de certa forma sub...

arquivos

Janeiro 2016

Outubro 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012