Sexta-feira, 28 de Setembro de 2012

«Há limites para os sacrifícios e nem tudo é legítimo» disse paradoxal e cinicamente o Primeiro-Ministro, Pedro Passos Coelho, em entrevista à RTP, no dia 13 de Setembro último, depois de duas tenebrosas comunicações do Governo ao país. Nos discursos e entrevista, mais austeridade e mais pesada, além da perversa alteração de todo o consenso social, com a implementação da TSU. Justificação de Pedro Passos Coelho: os portugueses não consumiram como deveriam… Indecoroso. O Governo exigiu sacrifícios, o povo correspondeu, o primeiro alienado que está foi incapaz de cumprir.

 

A resposta foi dada na rua, apenas dois dias volvidos, e a adesão superou as convocatórias das redes sociais. O povo sábio quis marcar presença e impôs ser ouvido (e não, não foi aquela massa amorfa, que alguns opinadores vêem e outros receiam). A mensagem foi colectiva e no final de todo o processo, o Governo saiu deslegitimado. Recuou.

 

Por essa Europa fora, e onde os Governos aplicam a única receita que aparentemente conhecem, os povos (e as economias) em «fadiga» e no limite da asfixia saem à rua, opondo-se à austeridade excessiva, pondo em causa a legitimidade desses mesmos Governos. Vejam-se as recentes declarações de Mariano Rajoy, e a margem de manobra que sabe que não tem, apelando inseguro, aos que ainda não saíram à rua; acenando nervoso, a Merkel, por outra solução.

 

Têm os povos legitimidade para se opor e resistir? Têm. Há outras soluções? Evidentemente. Ademais, bem menos custosas, no que às condições sociais e humanas diz respeito, e realmente interessam.

 



publicado por Gabriel Carvalho às 11:53 | link do post | comentar

Catarina Castanheira

Fábio Serranito

Frederico Aleixo

Frederico Bessa Cardoso

Gabriel Carvalho

Gonçalo Clemente Silva

João Moreira de Campos

Pedro Silveira

Rui Moreira

posts recentes

Entre 'o tudo e o nada' n...

Le Portugal a vol d'oisea...

Recentrar (e simplificar)...

Ser ou não ser legítimo, ...

O PS não deve aliar-se à ...

(Pelo menos) cinco (irrit...

Neon-liberais de pacotilh...

Piketty dá-nos em que pen...

Ideias de certa forma sub...

Ideias de certa forma sub...

arquivos

Janeiro 2016

Outubro 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012