Terça-feira, 9 de Outubro de 2012

Ao Eng. Aquilino Ribeiro Machado, a nossa vénia perante o seu uivo.

Morreu o Eng. Aquilino Ribeiro Machado, socialista, co-fundador do Partido Socialista, primeiro Presidente eleito da Câmara Municipal de Lisboa após o 25 de Abril, filho de Aquilino Ribeiro, neto de Bernardino Machado, um humanista, um homem livre, um lobo.

A nosso convite o Eng. Aquilino Ribeiro Machado deu-nos o privilégio de inaugurar este blogue em 13 de Setembro, um contributo inestimável de um substrato de experiência ética e moral, dizendo-nos para quem os lobos uivam, com o uivo dos espíritos inacomodados, num discurso da transmissão da mais elevada herança geracional, no estatuto de perpetuidade dos valores fundamentais:


"Para quem os lobos uivam?

Aquilino, muito me regozijou a novidade, que me deste, de que um grupo de amigos, gente nova e de espírito aberto, estava na iminência de lançar um blogue sob os auspícios do título do inconformado livro de teu avô. A escrita tem, como tudo na vida, os seus avatares e os gostos vão cambiando com o tempo. Há todavia certas invariantes que permanecem e que atribuem o estatuto de perpetuidade a uma obra literária pela situação humana que retrata e pela qualidade formal em que é lavrada. Ambas se conciliam para constituir uma identidade e uma vivência a que a miúde nos reportaremos como marcas obrigatórias do nosso conhecimento. O "Quando os Lobos Uivam" reúne muito desses predicados e, por isso, se continua a demarcar. Símbolo igualmente do espírito de inacomodação e do desejo de liberdade que vive na alma de todo o homem verdadeiro, o uivar dos lobos simboliza também a herança primordial que trazemos dentro de nós e nos reintegra na natureza. Suponho que os teus amigos, para lá de atentarem no chamamento profundo das antigas raízes estejam sobretudo interessados em privilegiar aqueles a quem intentem desinquietar ou doutrinar nas vias do progresso e do futuro. Que isso se faça sob a égide de Aquilino, o escritor, será pois motivo de orgulho e de reconhecimento da minha parte, como sei que será igualmente da tua.

Aquilino Ribeiro Machado"

À sua Família e Amigos, o nosso reconhecimento e profundo pesar pelo seu falecimento. O seu legado será inspiração e força para que os nossos uivos se ouçam bem alto, e acordem os espíritos adormecidos e inquietem as almas dos que destroem o nosso habitat.


 

 




publicado por quandooslobosuivam às 18:58 | link do post | comentar

Catarina Castanheira

Fábio Serranito

Frederico Aleixo

Frederico Bessa Cardoso

Gabriel Carvalho

Gonçalo Clemente Silva

João Moreira de Campos

Pedro Silveira

Rui Moreira

posts recentes

Entre 'o tudo e o nada' n...

Le Portugal a vol d'oisea...

Recentrar (e simplificar)...

Ser ou não ser legítimo, ...

O PS não deve aliar-se à ...

(Pelo menos) cinco (irrit...

Neon-liberais de pacotilh...

Piketty dá-nos em que pen...

Ideias de certa forma sub...

Ideias de certa forma sub...

arquivos

Janeiro 2016

Outubro 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012