Sexta-feira, 19 de Outubro de 2012

O banqueiro Fernando Ulrich defende que o Estado deve colocar empregados no seu banco e em outras grandes empresas enquanto recebem o respectivo subsídio de desemprego. O seu grande desejo é ter pessoas a trabalhar gratuitamente para si e a lucrar enquanto o Estado assume todos os custos. Depois avança: “Se ninguém negociar comigo nada, se ninguém me propuser nada, o caminho em que nós vamos é o de reduzir pessoas. E é isso que vamos continuar a fazer porque é isso que aumenta a rentabilidade do banco”.


Muito bem, este senhor vai despedir pessoas, acha que o Estado deve assumir o emprego no seu banco e, como se não bastasse, o seu banco foi recapitalizado pelo Estado.

Fica a pergunta: porque não propõe a nacionalização do BPI?


publicado por Frederico Aleixo às 20:27 | link do post | comentar

2 comentários:
De DD a 5 de Novembro de 2012 às 22:08
O Ulrich é esperto, quer escravos pagos pelo Estado, mas isso não é bem uma novidade na Europa.
A Alemanha pratica o sistema de meio emprego em que o patrão paga 50% do ordenado e o fundo de desemprego 40%, perdendo o trabalhador 10%. Muitos jornais alemães dizem que a maior parte desses trabalhadores não trabalham meio dia ou meia semana, mas sim o tempo todo, custando metade à empresa. Isso pratica-se muito em fábricas de máquinas industriais muito pequenas que não podem prescindir dos operários altamente especializados e assim conseguem vender as máquinas mais baratas num dumping proibido pela União Europeia. Claro, proibido para todos os países menos para a Alemanha.


De D. Dinis a 13 de Novembro de 2012 às 02:15
Mas uma coisa é certa, quem recebe prestações do Estado deveria fazer algum tipo de trabalho comunitário; temos muita mata para limpar - ou não se queixem dos fogos no verão. Este é um exemplo entre muitos...
Em parte o banqueiro tem razão, há que por as pessoas a fazer alguma coisa, não é só receber o dinheiro. Antes que me ataquem digo: trabalham as pessoas que estão em condições físicas para tal.


Comentar post

Catarina Castanheira

Fábio Serranito

Frederico Aleixo

Frederico Bessa Cardoso

Gabriel Carvalho

Gonçalo Clemente Silva

João Moreira de Campos

Pedro Silveira

Rui Moreira

posts recentes

Entre 'o tudo e o nada' n...

Le Portugal a vol d'oisea...

Recentrar (e simplificar)...

Ser ou não ser legítimo, ...

O PS não deve aliar-se à ...

(Pelo menos) cinco (irrit...

Neon-liberais de pacotilh...

Piketty dá-nos em que pen...

Ideias de certa forma sub...

Ideias de certa forma sub...

arquivos

Janeiro 2016

Outubro 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012