Quarta-feira, 7 de Junho de 2017

A realidade continua a escapar à lente dos analistas encartados. Falam sobre o manifesto do Labour como se de um manual da década de 1970 se tratasse. Profetizam um regresso ao passado, mesmo quando são os jovens que, massivamente, se deixam seduzir por aquelas propostas. Tal como já havia acontecido com Bernie Sanders, aquando das primárias democratas nos Estados Unidos. Tratam-nos como Marty's McFly, dizem que estão sedentos por voltar atrás no tempo. Não percebem que, tal como no filme de Robert Zemeckis, é no futuro que estes jovens querem estar. Não o percebem porque ainda não compreenderam de que se tratará o futuro.

Picture29.png

Fonte: adaptado de Desigualdade - O que fazer? (Atkinson, 2015)

A imagem acima apresentada retrata a evolução da desigualdade de rendimento e da pobreza no Reino Unido, desde a década de 1950. Em relação à desigualdade de rendimento, o que se observa desde a década de 1980 é um aumento exponencial. Em 2012, não só a disparidade entre o que ganhavam os 10% mais ricos e o que ganhavam os 10% mais pobres era superior, comparativamente ao que acontecia em 1980, como havia uma percentagem maior do rendimento que se destinava aos que mais auferiam (o afamado 1% do topo). Em termos de distribuição global do rendimento disponível, a situação era semelhante, como se pode observar pela evolução do coeficiente de Gini. Apenas a percentagem de pessoas que vivem abaixo da linha oficial da pobreza começou a diminuir desde a década de 1990. Registando, ainda assim, valores superiores aos observados no início da década de 1980. Se o regresso que temem é a uma sociedade menos desigual, então só se enganam no enquadramento temporal que fazem. O que está em causa não se trata de um discurso antiquado ou de qualquer esquizofrenia saudosista. O que está em causa é uma das lutas do futuro, é tão simplesmente o progresso. 

 

E, no final do dia, será isto que importará na altura de votar. For the many, not the few!



publicado por João Moreira de Campos às 21:08 | link do post

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



Catarina Castanheira

Fábio Serranito

Frederico Aleixo

Frederico Bessa Cardoso

Gabriel Carvalho

Gonçalo Clemente Silva

João Moreira de Campos

Pedro Silveira

Rui Moreira

posts recentes

Regresso ao Futuro

Entre 'o tudo e o nada' n...

Le Portugal a vol d'oisea...

Recentrar (e simplificar)...

Ser ou não ser legítimo, ...

O PS não deve aliar-se à ...

(Pelo menos) cinco (irrit...

Neon-liberais de pacotilh...

Piketty dá-nos em que pen...

Ideias de certa forma sub...

arquivos

Junho 2017

Janeiro 2016

Outubro 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012